3 pensamientos en “Hammutopia”

  1. ELSA MENDEZ me escreveu:
    “Tive a sorte de viajar até um encontro de mulheres berberes através de um homem. Foi um dia memorável e mágico.

    Imaginei os odores, as texturas dos tecidos, as cores, os olhares de cumplicidade, a intimidade e sabedoria passada de geraçâo através das historias. Consegui visualizar todo o ritual dos encontros, desde chegada à casa até ao fechar de olhos para ouvir da anfitriâ “há uma história entre vocês, quem a procurar vai encontrar…”

    Devo ao Mohamed Hammu saber abraçar até ao fim, sem descolar os braços ao dar pancadinhas nas costas em sinal de pudor. Abraçar firmemente até ao fim do abraço é radiante.

    Obrigada Mohamed Hammu!
    (24/07/2015, Porto, Portugal).

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *